Contínua, tracejada e amarela: saiba as principais diferenças dos tipos de faixas de sinalização

0

Se você está estudando para tirar a sua CNH, para reemití-la ou simplesmente quer aperfeiçoar os seus conhecimentos, é importante saber as diferenças entre faixas de sinalização no trânsito.

No Brasil, a cada 1 hora, 5 pessoas morrem de acidentes de trânsito, o que equivale ao equivalente a 109 mil mortes anuais. É muita coisa! Isso sem falar, claro, nos acidentes que acontecem mas não causam mortes.

Por isso, é importante prestar atenção na sinalização horizontal e vertical e entender como ela funciona, para evitar que erros simples coloquem a sua vida ou a dos seus familiares em risco. Quer saber quais as diferenças entre faixas de sinalização? Então siga a leitura!

Quais as diferenças entre faixas de sinalização?

As faixas de sinalização estão entre os principais meios de comunicar informação para os motoristas de maneira simples e intuitiva. Elas são, aliás, mais eficientes em sua comunicação do que as placas, embora as pessoas prestem menos atenção nelas.

No geral, as diferenças entre as faixas de sinalização são divididas em duas categorias principais: o traçado e as cores. Há ainda uma terceira categoria de sinalização horizontal (a de símbolos, legendas e setas), mas elas não se aplicam especificamente às faixas de trânsito.

Em relação ao traçado, as faixas de sinalização podem ter duas opções:

  • o traçado contínuo, que é aquele em que as linhas são pintadas sem interrupção pelo trecho que é demarcado na via. Essa linha pode estar posicionada longitudinalmente (ou seja, no mesmo sentido da via) ou transversalmente (ou seja, cortando a via).
  • o traçado tracejado, em que as linhas são interrompidas em pequenos trechos, cujo espaçamento é de tamanho igual ao do traço pintado.

Quais as diferenças entre a linha tracejada e contínua?

Na verdade, as diferenças entre faixas de sinalização são muitas pois não dependem só do traçado da faixa de sinalização, dependem também da sua cor.

No entanto, por via de regra, há uma diferença básica entre as linhas contínuas e tracejadas.

A diferença primordial entre elas é que o motorista pode passar por cima da linha tracejada, enquanto ele não pode passar por cima da linha contínua. Essa é a sinalização principal que a diferença entre elas denota.

Por exemplo, pense em uma rua de sentido único, mas com duas vias. Você está andando, mas o carro da frente está muito devagar. Se a linha for tracejada na rua, você tem autorização para ultrapassá-lo.

Para isso, você precisará ir para a via da esquerda e passar por cima da linha, acelerar mais do que o carro devagar e então retornar para a via da direita com tranquilidade.

No entanto, se a linha na rua for de tracejado contínuo, você não tem autorização para realizar essa manobra, o que renderá multa. Normalmente, as linhas contínuas são usadas para separar o fluxo de carros, enquanto as tracejadas para separar diferentes vias em um mesmo fluxo.

E a diferença nas cores das faixas de sinalização?

Além dos diferentes traçados, ainda existem as diferenças entre as faixas de sinalização em relação às suas cores. Cada tom tem um significado diferente quando aplicado na sinalização de trânsito.

As linhas amarelas são aquelas usadas para regular fluxos de sentidos opostos. Além disso, são aplicadas também na demarcação de espaços proibidos para estacionamento ou parada, além de marcação de obstáculos. Ou seja: a linha amarela significa um “não” para o seu carro, em geral.

As linhas vermelhas são pouco usadas, mas utilizadas para proporcionar contraste entre o pavimento das ciclofaixas e ciclovias e o pavimento viário.

As linhas brancas, por sua vez, são utilizadas para demarcar o fluxo de mesmo sentido em uma rua, na demarcação de faixas de pedestres e no estacionamento de veículos em condições especiais.

As linhas azuis são usadas para pintar os símbolos de pessoas portadoras de deficiência física, além de áreas especiais de estacionamento e em lugares onde é permitida a parada para embarque e desembarque.

Exemplo prático para entender as diferenças

Agora que já vimos o que cada elemento significa, façamos um pequeno exemplo para entender quais as diferenças entre faixas de sinalização no trânsito.

Suponha que você está andando por uma rua movimentada e vê uma linha contínua amarela (ou duas muito próximas, que é o normal em rodovias). Nesse caso, significa que aquela linha delimita os dois fluxos da via.

Agora, suponha que a linha amarela está tracejada. Ela ainda delimita os dois fluxos, mas agora permite que o motorista entre na outra via para fazer uma ultrapassagem. Isso é muito comum em rodovias.

Seguindo o caminho, você chega perto do seu caminho e vê a guia da calçada pintada de amarelo. É permitido estacionar ali? Não. Apenas se estiver branco ou azul, sob determinadas situações.

Viu como é fácil entender as diferenças entre faixas de sinalização no trânsito? Depois que se domina os conceitos, o entendimento vem na prática, pois as faixas são muito intuitivas para os motoristas.

E aí, ficou alguma dúvida? Se sim, deixe um comentário abaixo que vamos esclarecê-la!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.