Dietas Low Carb Podem Reduzir o Tempo de Vida

0

 

Comer uma dieta com baixo teor de carboidratos pode reduzir o tempo de vida, sugere um estudo de 25 anos.

Os planos alimentares que substituem os carboidratos por proteínas e gorduras, como a dieta cetogênica ou a dieta Atkins, ganharam popularidade nos últimos anos e são frequentemente endossados por celebridades mundo afora.

Mas novas pesquisas que acompanharam 15.400 pessoas desde a década de 1980 descobriram que as pessoas que seguiram dietas low carb morreram em média quatro anos mais cedo do que aquelas que tinham uma ingestão equilibrada.

Mesmo as pessoas que tinham alto consumo de carboidratos estavam em melhor situação do que aquelas que cortavam drasticamente o nutriente.

“Dietas low carb, que substituem carboidratos por proteína ou gordura, estão ganhando popularidade como uma estratégia de saúde e principalmente perda de peso”, disse a líder do estudo, Dra. Sara Seidelmann, pesquisadora da Cardiovascular Medicine do Brigham and Women’s Hospital, em Boston, EUA.

“No entanto, nossos dados sugerem que dietas low carb baseadas em proteínas de origem animal podem estar associadas a um menor tempo de vida e devem ser desencorajadas.”

“Em vez disso, se alguém escolhe seguir uma dieta baixa em carboidratos, a troca de carboidratos por gorduras e proteínas vegetais pode realmente promover o envelhecimento saudável a longo prazo”.

Para o estudo, os pesquisadores acompanharam 15.428 adultos com idades entre 45-64 anos a partir de 1987, monitorando suas dietas e resultados de saúde por mais de duas décadas.

Os pesquisadores descobriram que, a partir dos 50 anos, a expectativa de vida média era de 83 anos para aqueles com ingestão moderada de carboidratos (50-55% de calorias diárias), quatro anos mais longa do que aqueles com baixo consumo de carboidratos (menos de 40% de calorias), que viveu uma média de 79 anos.

Aqueles com uma alta ingestão de carboidratos (mais de 70% das calorias diárias), viveu até uma idade média de 82 anos.

Os pesquisadores também descobriram que a substituição de carboidratos por proteínas e gordura de origem animal estava associada a um risco maior de mortalidade do que a ingestão moderada de carboidratos.

Em contraste, a substituição de carboidratos por alimentos à base de plantas foi associada a um menor risco de mortalidade.

Os autores encontraram tendências semelhantes em oito coortes de outros estudos envolvendo 430.000 pessoas e especularam que as dietas do tipo ocidental que restringem os carboidratos muitas vezes levam a um maior consumo de proteínas e gorduras animais que podem causar inflamação, envelhecimento biológico e estresse oxidativo.

A professora Nita Forouhi, da Unidade de Epidemiologia do MRC, da Universidade de Cambridge, acrescentou: “Esta descoberta está de acordo com as diretrizes dietéticas da Public Health England no Reino Unido.

“As diretrizes atuais têm sido criticadas por aqueles que preferem dietas pobres em carboidratos, amplamente baseadas em estudos de curto prazo para perda de peso ou controle metabólico no diabetes, mas é vital considerar os efeitos a longo prazo e examinar a mortalidade, como fez este estudo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.