Tratamento das varizes e vasinhos durante a gravidez

1

 

Durante o período da gravidez é muito comum as futuras mamães darem uma atenção mais especial a saúde para terem um período de gestação mais saudável e tranquilo tanto para ela como também para o seu bebê.

Já foi-se o tempo em que gestantes se preocupavam apenas em comprar enxoval, roupinhas e sapatos infantis.

Nos meses de gestação, mudanças acontecem no corpo da mamãe. A prevenção deve ser praticada em todos os sentidos envolvendo desde uma boa alimentação para cada fase da gravidez: ela muda de acordo com a necessidade de novas vitaminas e proteínas que ajudam no desenvolvimento do feto, até a prática de exercícios físicos apropriados a elas nessa fase que é única para cada gestante.   

 

Fatores que desencadeiam varizes ou vasinhos na gestação

 

Entre os desconfortos mais comuns que surgem durante a gravidez, as varizes estão entre elas. Segundo o médico especialista em cirurgia vascular e endovascular, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Dr. Rogério Abdo Neser, o aparecimento das varizes podem ser tanto genético como também por outros fatores. “As varizes estão muito relacionadas com a genética, sendo impossível evitá-las completamente, entretanto, manter o peso ideal para a idade gestacional, praticar atividades físicas regularmente, obviamente dentro do adequado para a gravidez, são fatores que podem amenizar o problema. Entretanto, se a mulher já tem uma predisposição para o aparecimento de varizes, nem sempre é possível evitá-las completamente”, explica.

Por isso, há casos que mesmo se cuidando, por questão genética acabam surgindo e não é indicado removê-las durante esse período. Porém, para alívio das mamães mais propensas as varizes e vasinhos durante a gestação, elas tendem a diminuir durante os meses após o nascimento do bebê conforme explica Dr. Neser. “Geralmente as varizes e vasos diminuem nos primeiros três meses após a gestação, portanto, aquelas mulheres que tiveram varizes ou vasos durante a gestação devem aguardar este período para saberem o que restou. Se as varizes não regredirem após os três meses iniciais do puerpério, será necessário o tratamento para as varizes residuais”, relata.

 

Doenças geradas pelas varizes

 

Embora, não prejudiquem no desenvolvimento do bebê, as varizes podem levar a problemas mais graves que vão além da estética. Por isso, a importância de cada mamãe dar uma atenção maior ao surgimento delas nessa fase. 

Pois, assim evitam consequências que podem prejudicar a saúde da futura mamãe, mesmo algumas delas sendo raras como explica o Dr. Neser. “Os piores cenários para quem tem varizes na gravidez é o aparecimento de flebites que são inflamações nas veias, podendo ser bastante desconfortável e doloroso. Em casos extremos essas flebites podem progredir para a formação de tromboses venosas profundas, que podem ser graves, porém essa evolução é pouco frequente”, explica.

Uma gravidez nunca é igual para cada mulher, por exemplo, uma pode engordar mais do que a outra ou ter sintomas que são comuns na gravidez, porém mais leves do que outras grávidas. De acordo com Dr. Neser, os sintomas das varizes durante a gravidez não mudam dos que surgem fora desse período, porém existem alguns casos específicos que diferenciam dos demais.  “Os sintomas das varizes na gravidez não diferem dos sintomas das varizes não relacionadas à gestação. Geralmente são peso, cansaço e inchaço nas pernas que pioram no final do dia. Porém, o próprio estado gravídico, principalmente no final da gestação, ou em mulheres que engordaram muito durante a gravidez, pode gerar estes sintomas’, enfatiza.

 

Prazo para gestantes começarem o tratamento das varizes

 

A melhora das varizes começa imediatamente após o parto, sendo que o processo acontece gradualmente até o final do segundo ou terceiro mês do puerpério. As varizes que não desaparecerem neste período, dificilmente vão melhorar sem tratamento. Porém, mesmo após os cuidados médicos, elas podem voltar como explica Dr. Neser. “Sim, as varizes podem voltar, independente da gestação. Isso está relacionado ao principal fator que determina as varizes, que é a genética. As varizes também aumentam com a idade, portanto, sempre digo aos meus pacientes que o tratamento de varizes e vasinhos tem começo mas não tem fim”.

 

Tratamentos das varizes

 

Os tratamentos mais comuns para as varizes e vasinhos são a cirurgia, para retirada das veias, e a escleroterapia, conhecida como secagem de vasos ou veias. 

De acordo com o Dr. Neser, o tempo do tratamento depende da fase da doença. “Depende muito do estágio que se encontra o problema; varizes nos estágios iniciais geralmente demandam um tempo limitado para o tratamento, já as varizes em estágios avançados demandam longos períodos de tratamento, um ano ou mais…”, relata. 

Veja também: Como se Livrar da Terrível Azia Durante a Gravidez

Fase da recuperação após a cirurgia

 

A recuperação vai depender do estágio da doença e do tipo de tratamento requerido. Se for necessária somente a escleroterapia, ou seja, a secagem das veias, a pessoa não precisa deixar de fazer suas atividades habituais ou deixar de trabalhar.

Casos cirúrgicos, geralmente mais complexos, normalmente demandam alguns dias para convalescença, mas hoje em dia, com técnicas modernas e bem realizadas, dificilmente será necessário um período maior que 7 a 10 dias para recuperação pós cirúrgica.

Alguns pacientes por terem outras doenças requerem cuidado dobrado ao realizarem o tratamento por conta dos riscos. “Pessoas com doenças associadas e não controladas, como diabetes, hipertensão arterial, ou doenças crônicas outras, geralmente não devem ser submetidas a tratamentos cirúrgicos até que estejam plenamente compensadas”, finaliza.

No vídeo abaixo você saberá como é o processo do tratamento das varizes e vasinhos, no método escleroterapia. Esse tratamento possui dois modos, o de líquido ou espuma. O resultado é benéfico e muito satisfatório para as pernas. 

 

 

Esperamos que essas informações ajudem nas dúvidas que são comuns entre as mulheres principalmente na fase da gestação. Não deixe de compartilhar esse tema tão importante em suas redes sociais.    

 

Artigo escrito por Eliane Honorato – Jornalista, formada na PUC-Campinas, possui experiência como correspondente internacional, repórter em mídias impressas e digitais. É assessora de imprensa na loja infantil on line Petit Papillon Bebê & Criança.

 

1 comentário
  1. Marília Diz

    Excelente artigo. Me tirou muitas dúvidas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.