Com maior presença dos vídeos na internet, cresce o número de produtoras em São Paulo

0

O crescimento de produtoras apenas nos sete primeiros meses de 2019, São Paulo movimentou mais de R$ 300 milhões em produção audiovisual .

Atualmente, existem cerca de 12 mil produtoras audiovisuais em todo o Brasil e grande parte delas está no estado de São Paulo. Esse número aumenta ainda mais por conta da internet e do alto consumo de vídeos no mundo digital. De fato, entre 2016 e 2017, foram 2,8 mil obras filmadas apenas dentro da cidade. 

Os números impressionam também pelo valor movimentado pela atividade na capital. Entre janeiro e julho de 2019, foram R$ 308,6 milhões. E as cifras continuam altas, pois o governo estadual vai disponibilizar R$ 200 milhões em crédito para empresas do setor audiovisual. Isso é positivo tanto para companhias já existentes quanto para novos empreendedores que queiram entrar no segmento. 

A forma de consumir vídeos no mercado audiovisual brasileiro mudou

Todo esse impulso reflete a mudança na forma de consumir vídeos do consumidor nacional. Hoje, as pessoas chegam a passar 19 horas assistindo a conteúdos em seus computadores ou smarthphones. E usam, para isso, plataformas como o YouTube e a Netflix, assim como as mídias sociais, incluindo Instagram e Facebook. 

Essa nova realidade tira o monopólio da televisão e de suas produções formatadas dentro de um padrão único e custoso de se atingir. Especialmente, por pequenas e microempresas. 

Com o advento da internet, quem trabalha com audiovisual tem possibilidades amplas de trabalho, pois é bem mais fácil fazer com que a obra atinja o público-alvo. Além disso, os conteúdos podem surgir nos mais variados modelos, a maior parte deles de curta duração, o que diminui custos. 

“Desde que comecei a usar a internet para divulgar os serviços da minha produtora de vídeos, tivemos um crescimento de 40% no faturamento mensal.”, afirma Leonardo, CEO da Sagicapri Produtora.

Um cenário promissor

O cenário promissor que surge com o mundo digital foi confirmado na Pesquisa Video Viewers, publicada em 2018 pelo Instituto Provokers em parceria com a Box 1824, empresas especializadas na análise de dados. 

De acordo com o estudo, o consumo de vídeos na web aumentou 135% ao longo de quatro anos, em contrapartida a 13% sobre o da televisão, aberta ou por assinatura. Isso significa, que existe um público ansioso por conteúdo personalizado e dinâmico, que possa ser acessado digitalmente. 

De olho nesse panorama, os números de produtoras em São Paulo crescem a cada dia. Atualmente, são milhares de companhias de diferentes tamanhos que juntas são responsáveis pela criação de 69 mil postos de trabalho. 

Uma parte dessas empresas está vinculada à Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais, a Apro. Outras, no entanto, ainda estão se estabelecendo e conquistando seu espaço no setor pouco a pouco. Muitas são formadas por uma equipe reduzida e há aquelas compostas somente por uma pessoa, o microempresário individual. 

Independentemente do tamanho e do tipo de produtora, o certo é que elas estão criando materiais de diferentes gêneros. Há empresas voltadas para a área de publicidade, produzindo anúncios, reviews ou demonstrações de produtos. Existem outras que focam na cobertura de eventos, na criação de conteúdos livres e aquelas que são especializadas na realização de filmes, documentários ou séries. 

Além das empresas privadas, há também a Spcine, uma companhia pública municipal dedicada à impulsionar o mercado audiovisual paulistano. Entre março de 2016 e julho de 2019, ela investiu R$ 27 milhões em obras dos mais variados tipos. 

Tudo isso mostra que a internet veio para alavancar o mercado audiovisual e teve um grande impacto no Brasil e, em especial, em São Paulo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.